sexta-feira, 1 de abril de 2011

Cadê os nossos Heróis?


Onde estão aqueles homens que lutaram por uma causa justa e digna?  Que travaram batalhas contra a injustiça social, política e econômica.  Onde estão os  escritores, pensadores e filósofos que alimentaram o imaginário das gerações passadas? 

Atrevo-me dizer que estão nas estantes de nossas casas, como personagens de livros de História Geral, que se tornaram obsoletos e sem utilidade na geração Coca-Cola.


Essas perguntas são pertinentes?  Sim!
Porque estamos vivendo uma geração vazia de heróis!


Hoje, nossos ícones são Bill Gates (Microsoft), Mark Zuckerberg (Facebook), Steve Jobs (Apple) ..  Elvis Presley, Bob Marley, Michael Jackson e Beyoncé. 


Pois, homens do naipe de Lutero, Calvino, J.Wesley,  Kierkegaard, Dostoievski, C.S.Lewis, M.L.Jones, Winston Churchill, Martin luther king, Che Guevara, Gandhi e tantos outros, tornaram-se raridade em nosso tempo,  indivíduos à beira da extinção.


Cazuza, como ninguém, conseguiu retratar essa realidade, na canção Ideologia:"Pois aquele garoto, que ia mudar o mundo, agora assiste tudo em cima do muro, Meus heróis morreram de overdose, meus inimigos estão no poder.. Ideologia! Eu quero uma pra viver".
De fato, os nossos Heróis revelam nossa disposição interior diante da vida e da sociedade!  


Enfim, vivemos numa geração de pseudos heróis, típicos da sociedade capitalista e narcisista.


Até mesmo a igreja, vive um longo período de esvaziamento de pessoas que assumam o papel de referenciais, diante do povo de Deus.. Porque, muitos, continuam inertes, em cima do muroassistindo os mercenários fazerem a festa no ajuntamento dos santos.


Atualmente nossos "idolos gospel" são fabricados na "olaria do deus capitalista". 
Pois os Heróis da fé, estão sendo substituído vertiginosamente por surtadinhos, tais como:
Marco Feliciano, que se jacta de ter saído da Vila Tatu para o mundo..
Valdomiro Santiago, um homem dotado de super-poderes...
Silas Malafaia, que encarnou o mercantilismo da fé...


Diante do quadro apresentado, só me resta orar a Deus, para que levante entre nós, homens e mulheres que sejam exemplos de compromisso com o Senhor, somando-se aos poucos sobreviventes que agonizam heroicamente... 
Afim de que a unica ideologia a prevalecer entre nós, seja o Evangelho ! 


Por Carlos Herrera




Prestem atenção na letra da canção Ideologia de Cazuza
Bom fim de semana!

26 Deixe seu comentário!:

CARLOS HERRERA disse...

todos temos nossos referenciais, e isso não é um erro.

Moisés foi para Josué
Josue para os Juízes
Elias para Eliseu
e, Jesus para nós

Paulo disse..sede meu imitadores como sou de Cristo...

O erro é quando os nossos referenciais ganham espaço em nosso coração que já foi preenchido por Deus!

Renato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
helena disse...

Olá irmão Carlos Herrera, passei uns dias sem vim aqui, estou feliz por ler tantos texto abençoados.

Infelizmente nossos herois se venderam, quando eu ouvia essa musica do Cazuza, eu via que se encaixava só na politica brasileira, mas hoje vejo que não, está como um hino pra nós evangelicos também.
Ai meu Deus!! onde vamos chegar!Que Deus continue tendo misericordia de todos nós!

soniaconslt disse...

Eu acredito que existam heróis, Carlos,mas como disse o Renato, eles não estão na mídia.
Os heróis verdadeiros, estão acima disso,estão no cotidiano espalhando o bem a quem precisa.
Estes a exemplo de madre Tereza de calcutá, não procuram o reconhecimento, o louvor, as palmas, etc. Procuram sim o bem das almas e o olhar de Deus sobre suas ações.
Um bom dia meu querido

CARLOS HERRERA disse...

Bom te-la aqui Helena..volte sempre querida irmã !

Renato, quanto tempo meu! obrigado pela visita ...

Concordo contigo Sônia, como escrevi no texto, ainda existem Heróis....por isso , vejo a necessidade de clamarmos a Deus, que levante outros, para se juntar aos poucos existentes..
bjs mana

CARLOS HERRERA disse...

Há um tempo postei um texto cujo título era :
E AÍ... VAI FICAR EM CIMA DO MURO?

este texto, acaba sendo um complemento deste!

caso vc ainda não tenha lido, este é o link:
http://cativosporcristo.blogspot.com/2011/02/e-ai-vai-ficar-em-cima-do-muro.html

Conexão da Graça disse...

Carlão, parece que existe uma conexão da graça rs entre nossos escritos.Estou terminando um texto talvez para a semana que vem justamente com o título:Quem são seus heróis?Aqui vai um parágrafo dele"Nossas construções psicológicas, são ávidas por “mitos” que personifiquem a necessidade interior que temos de nos espelhar em alguém que traduza nossos anseios e projeções pessoais não realizadas e, que acabam sendo fruto de transferências inconscientes. ".Concordo plenamente com o que disse o Renato "...verdadeiros heróis existem, mas são desprezados...", e é mais ou menos nessa linha de pensamento que estou refletindo.Valeu, pertinente o texto e me motivou a terminá-lo.Franklin

CARLOS HERRERA disse...

Franklin,
Faz um dois meses que eu estava com este tema na cabeça...
Claro que nao pus tudo, pq nao gosto de escrever textos longos..

quanto a conexão, eu ia por esse mesmo tema, "Quem são nossos herois"
Ué, pensei que o Valdomiro que tinha superpoderes...Meu, para de ler a mente dos outros rsrs

Abração mano, ótimo fim de semana

Robson Batista disse...

meu querido irmão, se é para ter heróis como estes que estão por ai na mídia, é melhor não ter nenhum. É a mesma coisa na questão da música, prefiro não ouvir nada a ter que me conformar a nivelar meu gosto musical por baixo devido à qualidade dos músicos atuais.
Os heróis ainda existem, sabe onde eles estão? Nas pequenas congregações, pregando para rebanhos pequenos, sofrendo a cada mês para pagar o aluguel do salão da igreja, jejuando e orando e dedicando sua vida ao Deus Verdadeiro... Estes sim são os atuais heróis da fé!

Eduardo Medeiros disse...

oi carlos, beleza?

excelente reflexão.

creio que há os heróis que marcaram toda uma época e influenciaram para o bem a sociedade. são os heróis que entram na história e você citou alguns. (apesar da influência social que calvino teve, eu não o escolheria como herói...mas aí é gosto pessoal meu..rsss e elvis e michael apesar de não serem meus heróis, gosto muito dos dois pelo fenomenal lado artístico, assim como cazuza).

mas há os heróis anônimos. homens e mulheres que acordam cedo, trabalham com dignidade e contribuem com o crescimento do país, coisa que deveria ser exemplo para nossos políticos carentes de heroísmos.

abraços

disse...

Bom, os meus não morreram de overdose, continua sendo meus heróis. Glória a Deus que ainda existe. Que com certeza não são estes que estão na mídia se ofendendo e sendo escândalos para as ovelhas.

Ainda existem heróis gente. Mas estes ninguém vê, estão no anonimato fazendo o que tem que ser feito. Amando o próximo e sustentando os orfãos e as viuvas, pregando o verdadeiro evangelho com todo seu amor. Eu conheço muitos assim, para minha alegria e edificação. Paz Hererira!

disse...

Ah, tem gente que acha que eles estão no BBB, rsss. pois o Bial disse que são heróis. rssss

Wendel Bernardes disse...

Carlos,
seu texto é muito importante para entendermos o quanto nos faz falta a referência verdadeira.
Você falou de Gandhi, Lewis, Lutero, Wesley... claro, são referências de uma forma global e não só em seus feitos ou idealogias.

Creio que concordo com o Eduardo que consegue enxergar no cara que batalha pra caramba todos os dias num 'busão' (como dizem os de Sampa) matendo um leão por dia e lutando sistematicamente contra a maré. Esses caras (homens e mulheres) são os heróis sem overdoses, que nos mostram o caminho. Mas vou além, creio que eles não só controem o país, mas fazem a diferença no nicho ende vivem, familia, igreja, trabalho...

Esses heróis não morreram, mas os que podem servir de exemplo global, com a notoriedade destes que citastes, esses morreram e estão enterrados na mesmice sociopata atual!

P.S.
Quase me sujei de rir com a foto desse sujeito (com cara de predicado) na capa da matéria!
Infelizmente, o Superman não merecia tanta sacanagem, coitado, aliás ele usa 'pega rapaz' na testa, mas gosta da Lois Lene, poxa!

CARLOS HERRERA disse...

è verdade Rô, existem muitos heróis anonimos..que não tocam trombetas em praças publicas...



Eduardo, concordo contigo...Sou admirador de Elvis, Fred Mercury..e tantos outros, porém, muitos fazem desses que estão na midia os seus referenciais...isso é um problema!

Vc comentou sobre os que matam um leão por dia...esses homens e mulheres sempre existiram...vc e eu que acordamos cedo para trabalhar, que aguenta a chatice do patrao..somos tambem heróis..

Mas, o post esta se referindo aqueles que estão na midia, cantores, filosofos, pensadores, pregadores..enfim..esses conduzem uma multidão no caminho desbravado por eles...são esses que eu questiono no texto

Valeu Wendel...morri de ri também quando achei no google essa imagem rsrs

CARLOS HERRERA disse...

Rô..meu herói é meu controle...que me dar o poder de zapear a tv cabo..rss, assim fujo das marias, wesleys da vida rsrs

Wanderson Sabino disse...

Olá Herrera,
obrigado pela visita. As portas ou (janelas)do blog estarão sempre abertas pra você.

Mano Herrera, complicado é saber onde foram parar aqueles que queriamos imitar...

Onde estão as minhas referências? Por onde andam os pregadores, os atalaias? Sei lá.
Acho que resolveram pegar um atalho. Ou será que trocaram a recompensa futura por uma glória passageira eu sei, porém presente?

Será que a fábrica parou de produzir heróis?

Ainda bem que temos o Espírito Santo pra nos ajudar e os evangelhos de Cristo como referencial.

Abraços,

Wanderson Sabino
wandersonsabino.blogspot.com

disse...

"meu herói é meu controle".fujo das marias, wesleys da vida" rsrs
O meu também meu querido, aliás estes são heróis e referências para muitos. rsss
Como diz um amigo meu querido. Só a "graxa"!

Mariani Lima disse...

Oi, Carlos.
Obrigada por sua visita e por estar seguindo meu blog.
Gostaria de parabenizá-lo por seu blog e dizer que o estou seguindo tb.

Gostei muito desse seu texto e concordo que a definição de heróis empobreceu demais. Ia justamente mencionar o que a Rô disse sobre os BBBs serem chamados de heróis. Acho que para um adulto cabeça feita, a brincadeira não cola, mas será que os mais jovens percebem a diferença?
Penso o brasileiro de forma geral é muito empolgado em algum momento mas que se esquece de atos heróicos de seus ilustres.
Fique com Deus,

A Tua palavra é A Verdade ! disse...

E ai Herrera? na paz?

Falando de heróis... O ex- vice presidente José Alencar, (não é por que ele nos deixou na mão não)grande cara, não consigo imaginar um homem desses em Brasília com aquela corja de ...ban... malf... infelicianos e tiricas da vida.
um abraço.

Sobre o Tempo disse...

Carlos, eu penso que hoje em dia exista uma inversão de valores. O herói nem sempre é realmente um benfeitor. A mídia "fabrica" o herói que convem. Os verdadeiros heróis são anônimos. Um ótimo fim de semana e um grande abraço!

CARLOS HERRERA disse...

Quando me refiro a Herói, tb associo aquele que é um "referencial"...a quem admiramos, pela postura, carater ilibado..enfim..

Nas gerações passadas, esses referenciais(heróis) eram mais abundantes...

Hoje, eles se esvaziaram..por isso perguntei.."cadê nossos Heróis?"

essa pergunta serve tb para a dimensão espiritual...cade nossos referenciais de fé...sera que nosso referencial de fé são Malafia, Feliciano, Valdomiro???

Meditem nisso..quem são nossos referenciais!
abçs

disse...

Maninho acho que você foi muito modesto em colocar somente estes Malafia, Feliciano, Valdomiro??? Infeliamente tem muito mais aí. rsss Para nossa tristeza!

CARLOS HERRERA disse...

Rô...pelo amor de Deus...está tudo bem, quanto ao valdomiro e malafaia..
mas quanto ao Markito..devo ta louco?
esqueci q o cara tem imunidade parlamentar! rsrs

Marli Borges disse...

Olá Herrera!
Passando para conhecer alguns espaços da blogosfera, cheguei aqui. E gostei. Há duas propostas nesse post que me fascinam: o estar 'em cima do muro' e a 'Ideologia' que intitula essa música do Cazuza. E vou dizer o porquê. Penso um pouquinho diferente sobre o estar 'em cima do muro'. Tenho medo de generalizações. É que, por vezes, (eu falei por vezes,)estar em cima do muro nos proporciona uma visão melhor, mais ampla, com possibilidade de vislumbrar os dois lados da moeda. Nos oportuniza uma reflexão mais imparcial, mais incisiva. No meu pensar, esse radicalismo que permeia a referida música, é fruto da generalização a que me referi anteriormente. E chega a assustar. Mas é uma linda poesia, ah, isso é. Cazuza foi, indiscutivelmente, um grande poeta. Mas uma coisa é poesia e outra é a vidinha nossa, essa daqui. Por outro lado, como deu pra notar, ele não conseguiu ficar imune, e algumas de suas músicas são também poesia de consumo imediato.

Ideologia? Ora, eu particularmente, não quero saber de ideologia, a história nos mostra que através dos tempos, todas as ideologias têm sido nefastas, e causado muitas dores, devido ao seu fundamentalismo intrínseco. Sou a favor de idéias, de livres espaços onde se consiga pensar, expor o pensamento, raciocinar, refletir e por consequência, acreditar.

Quanto aos heróis, entendi a mensagem. Entendi que você escreveu a respeito daqueles que estão nas mídias. E concordo contigo. A mídia nos empurra goela abaixo seus heróis de mentirinha, heróis prontos para consumo. Vai ver nós é que estamos ultrapassados, rsrs... vai ver mudou o conceito de heróis e a gente não sabia. Pelo menos eu, pois para mim, herói é OUTRA COISA. Mas isso é assunto pra OUTRA hora.

Parabéns pelo post. Desculpe meu comentário longo, mas quando aprecio um assunto, sempre me estendo um pouquinho mais.
Um grande beijo.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Pois é, mano. São os heróis do evangelicalismo brasileiro...

Este Marco Feliciano mostrou agora para o país inteiro o racismo de sua teologia de botequim, a respeito da qual escrevi um artigo no meu blogue. Pois fiquei perplexo com o que ele escreveu no Twitter e sobre sua entrevista na Revista Veja.

Enfim, Marco Feliciano, com seus mais de 200 mil votos, expressa a alienação gospelizada dos evangélicos do Brasil. Lamentável.

Eduardo Medeiros disse...

carlos, a sua postagem sobre "heróis"(ou a falta deles)me lembrou de um "herói espiritual" que eu tinha quando jovem. escrevi sobre ele lá no caminhos da teologia.

valeu, abraços