sexta-feira, 4 de março de 2011

Simplesmente Che


Estou terminando de ler a biografia de Ernesto Che Guevara.

Devo confessar aos maninhos que achava conhecer a vida deste emblemático personagem, mas ao aventurar-me na sua hitória, descobri a minha total ignorância.


Che, é um daqueles personagens que desperta na gente os mais variados sentimentos.... Emoções, que vão da simples admiração ao ódio absoluto, da simpatia revolucionária ao repudio  ideológico.


Amado pelos socialistas, hostilizado pelos capitalistas, mas sem dúvida alguma, um dos grandes personagens do nosso tempo.


Em Che, o que mais me chamou atenção, não foi os seus erros ou acertos, tampouco seus conceitos ideológicos ou seu espírito aventureiro que norteava sua vida....mas a sua concepção de igualitarismo que o acompanhava desde sua tenra infância. Como também, seu empenho em alfabetizar  soldados, camponeses e o povo carente de Cuba. Destacava-se pelo seu caráter sólido ao opor-se a qualquer tipo de privilégio a sua pessoa, antes, durante e pós Revolução Cubana. 

Podemos questionar seus métodos revolucionários ou posicionamento político, jamais... sua luta pelo bem comum, por uma sociedade mais justa e igualitária. Foi um Individuo que abandonou a medicina, família e amigos para se lançar numa aventura revolucionária, num país extrangeiro. Enfim, por mais que tentam demonizar a figura de Guevara, para muitos...ele ainda é um mito. 


Um homem comum, de sonhos e ideais incomuns, para mim....simplesmente Che !

Na sua carta de despedida, escreveu uma frase que resume bem sua vida:
"Não lamento, por não deixar nada material para minha mulher e meus filhos. Estou feliz que seja assim, pois a maior herança que deixo é o meu caráter e empenho por um mundo mais justo".


Concluo dizendo que " os fins não justificam os meios"... 
Por isso, os "meios revolucionários"  de Che, podem ser questionáveis...porém, seus "fins igualitários"  .... jamais!
Como seria bom, se os "evangélicos" vivessem o legitimo evangelho de Cristo, pelo menos no nosso meio... não haveriam tantas desigualdades sociais!  Como seria maravilhoso se todos nós experimentássemos a verdadeira revolução do evangelho proposto por Cristo!  
Porque em Jesus, não há escravo ou livre, rico ou pobre...todos somos iguais, nivelados pela cruz de Cristo!


Por Carlos Herrera


A viagem pela America-Latina lhe proporcionou uma consciência política, até então, desconhecida por ele.



21 Deixe seu comentário!:

Pastor Jesiel Padilha disse...

Pois eu tenho uma grande admiracao por este homem, pela sua ideologia, pelo desapego ao poder, pela coragem, pelo amor que ele tinha pelo povo da america latina oprimido naquela epoca

BLOG PR MATIAS disse...

muito bom mesmo... precisamos extrair o que é bom sempre de tudo e todos...

parabéns pela postagem...

Wendel Bernardes disse...

Herrera,
alguém tão controverso tem sempre algo a ensinar de positivo, pois sempre retemos o que é bom, mesmo nos erros e posturas equivocadas.

No caso de Che, acho que mais está equivocado quem não entende o turbilhão de sentimentos que havia em sua alma.

Temos um mundo em nossos corações, alguns descobertos e expostos, outros trancafiados pelo medo. E essa coisa Che num tinha.

CARLOS HERRERA disse...

Isso mesmo..
Wendel, o cara morre aos 36 anos de idade...tinha carater, personalidade forte e muito decido...como vc bem disse...nos pontos positivos:um ótimo exemplo!

abração véio...

CARLOS HERRERA disse...

Pr. Matias, valeu querido!

Pr.Padilha, como o amigo , também tenho admiração pelo Che...seu senso do bem comum, ideário igualitário..

enfim...podemos até questionar os meios, mas não os fins!

Os meios...revolucionários..ok!..jamais o objetivo final...senso do bem comum..

Se a maioria dos cristãos cumprisse verdadeiramente o evangelho...pelo menos no nosso meio não haveriam tantas desigualdades...

Regina Farias disse...

Justíssima homenagem!

Sou sua admiradora desde a adolescência "vermelha" rss justamente por isso que você disse acerca dele de forma sucinta e verdadeira.

E que afirmação essa que ele fez, (e viveu!) dando baita lição em muito líder religioso por aí...

Amei!

Abs,

R.

CARLOS HERRERA disse...

Valeu Rê...brigadu

não sei se deu para vc ler o fim do texto... pois não queria espiritualizar esse post...mas não resisti rssssss

Concluo dizendo que " os fins não justificam os meios"...
Por isso os "meios revolucionários" de Che podem ser questionáveis...porém, jamais "os fins igualitários" ....
Como seria bom, se os "evangélicos" vivessem o legitimo evangelho de Cristo, pelo menos no nosso meio... não haveriam tantas desigualdades sociais!
Como seria maravilhoso se todos nós vivêssemos a verdadeira revolução do evangelho!
Porque em Jesus, não há escravo ou livre, rico ou pobre...todos somos iguais, nivelados pela cruz de Cristo!

disse...

Só por fins igualitários. Ele é uma lenda para os jovens, revolucionários de todo o mundo, um exemplo de fidelidade e total devoção a união dos povos. Muito bom seu texto
Herreira. Paz!

Marcony disse...

Otimo texto, parabens... otimo fim de semana

Diego Lopes disse...

Caro Carlos,
estou passando pelo mesmo processo de metanóia que você... Vejo isso através do que escreves!
Estarei sempre passando por esse espaço aqui e sinta-se a vontade para voltar lá no Paixão e Compaixão!
Parabéns pelo blog!

Diego Lopes disse...

Copiei seu banner lá no Paixão e Compaixão... Aceita parceria?
Aguardo sua visita!

CARLOS HERRERA disse...

Valeu Diego, metanóia é um processo dolorido e guardada as devidas proporções....é igual o mito da caverna! dói mas vale a pena

Abraços Marcony

Valeu Rô...bjs

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Graça e paz, meu irmão!

Achei bem sensata e honesta a sua posição em relação a Ernesto Che Guevara, sem demonizá-lo e sem mitologizá-lo como fazem as pessoas da "religião" do comunismo.

Apesar de discordar dos métodos de luta armada e do uso totalitário do aparelho estatal como acabaram fazendo os revolucionários de Cuba liderados por Che e Fidel Castro, estou de acordo quanto à construção de uma sociedade mais justa que, necessariamente, não precisa ser absolutamente igualitária. Se bem que o cocneito de igualdade é muito amplo e relativo pois, tratar desiguais como iguais, é, sem dúvida, uma desigualdade. Todavia, penso que todos devem ter iguais oportunidades ou condições de brilharem numa sociedade.

Quanto à Igreja, realmente nos falta entusiasmos, persistência e despreendimento afim de que possamos buscar a essência que nossos irmaos daquela congregação de Jerusalém em Atos dos Apóstolos vivenciou nos seus primeiros anos ou décadas, conforme percebemos através da leitura bíblica.

Abraços e mais uma vez parabéns pelo texto.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Em tempo!

Não acho que você tenha "espiritualizado" o texto, conforme respondeu à Regina, mano!

Na prática, os nossos valores éticos como discípulos de Jesus devem estar presentes em tudo que fazemos ou falamos de modo que abordar temas seculares com uma visão da fé torna-se uma excelente maneira de anunciar o Evangelho e de um modo que eu chamaria de transversal.

Abraços e aproveito para desejar-lhe um feliz descanso sabático cheio da Divina Presença.

Rev.Ronaldo P. Mendes disse...

Amado irmão Carlos graça e paz!
Venho agradecer o carinho da visita ao blog Solus Christus. Gostei muito do comentário. Que o Senhor continue derramando bençãos sobre sua vida e ministério. Parabéns por este edificante blog.

CARLOS HERRERA disse...

Rodrigão, valeu por seus comentários maninho..

obrigado Rev. Ronaldo..é bom te-lo aqui

Cida Kuntze disse...

Oi Carlos!
Tô em débito com você, me perdoe a ausência, mas só ontem e hoje que estou recomençando a visitar os blogs dos amigos e ler as postagens que não li.

Estou com pouco tempo pra ficar na internet, mas agradeço a Deus pela nova fase que tem iniciado na minha vida.

Sobre o Che, confesso que nunca me interessei por ele, mas gostei muito do teu texto.

Um grande abraço e um final de semana prolongado de paz pra você e sua família.

René disse...

Herrera,

Acho que você fez uma ótima ligação entre a persistência ativa (apesar de equivocada nos meios) do Che e atuação dos cristãos como membros do Corpo de Cristo. Não vejo isto como espiritualização desta postagem, onde você faz uma justa homenagem a um homem que conseguiu fazer boa parte de um povo de todo um continente reagir contra uma dominação espúria que se fazia presente em vários países, na época (e que continuou por décadas). Certamente, esse homem agiu baseado na "lei da natureza humana", que pressupõe o bem estar da sociedade, como um todo, acima do bem estar que beneficie, apenas, um ou poucos indivíduos.

E este é o princípio do Evangelho, também: negar a si mesmo e amar aos outros! Ou seja, a felicidade do indivíduo está na felicidade dos outros. A grande diferença é que o meio para isto é a revolução de se entregar a Jesus, não a revolução armada.

Detalhe: a música do vídeo, "El Condor Pasa", lindíssima, foi um ícone da liberdade latino-americana, merecendo uma belíssima versão em inglês de Paul Simon e Art Garfunkel.

Abração e muita Paz!

CARLOS HERRERA disse...

Renê,

valeu pelo comentário e considerações bem complementares! concordo contigo...esse principio de justiça, como um bem comum, havia sido abordado por Platão em seu livro A Republica....adaptado ao humanismo por Thomás More em a Utopia....

Este é um sonho do homem...sociedade mais justa, direitos e obrigações sendo respeitados...

E Cristo, como vc bem abordou, foi além...amar ao proximo como a ti mesmo...lindo!

valeu amigão...abraçosssssssss

Eduardo Medeiros disse...

oi carlos, tudo bem? li algumas coisas sobre o che mas ainda não li uma biografia mais densa e completa dele. você aguçou minha vontade de fazê-lo.

admiro principalmente o fato dele ter gastado a vida no que acreditava; admiro gente assim.

abraços

Francisco de Aquino disse...

Carlos,parabéns pelo .Visite o Sola Scriptura http://www.solascriptura-scriptura.blogspot.com