quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Tempestades....


Relâmpagos, trovões, ventanias, ondas gigantes... sinais de tempestade! Mas isto não se refere apenas às manifestações da natureza. Normalmente, as dificuldades pelas quais passamos também são tidas como tempestades.


Muitas vezes somos atingidos por relâmpagos, que quase nos destroem, por trovões, que nos ensurdecem, por ventanias, que quase nos derrubam, e por ondas gigantes, que nos jogam de um lado para o outro e quase nos fazem sucumbir. São as palavras ou as atitudes de alguém que nos machucam, são relacionamentos que se desgastam ou não dão certo, é o desemprego que nos deixa sem perspectiva de nada, é aquele dia-a-dia que parece nunca mudar, nunca melhorar...

Às vezes, nossa vida parece com as pessoas que estão naquele navio, em alto mar, atingido em cheio por uma tempestade, sendo jogado para cima e para baixo em ondas gigantescas, fazendo com que as pessoas sejam jogadas de um lado para o outro, precisando usar toda a força possível para se agarrar a qualquer coisa que esteja por perto, e não serem lançadas fora, ao mar, onde morreriam. No meio dessa situação, dessa angústia, a gente anda, cambaleia como ébrio, perde todo o tino.

Também pode parecer que a gente esteja junto ao povo de Israel, quando, saindo do Egito, chegou à beira do Mar Vermelho, com montanhas intransponíveis nos lados, e o inimigo, sedento de sangue, na retaguarda. Não há saída! E, para completar, começa a soprar um vento fortíssimo, capaz de mover tudo que estiver à sua frente. E dura toda a noite. O desespero cresce, porque não se pode fazer nada para resolver a situação, para fugir desse martírio.

Mas, mesmo nessas situações aparentemente impossíveis de se vencer, existe uma saída. O Espírito de Cristo nos diz que “aquele que entrou no descanso de Deus, também ele mesmo descansou de suas obras, como Deus das suas” (Hb 4.10). O Espírito Santo nos fala de Paz, aqui, independentemente das circunstâncias. E é da Paz que Jesus nos deixou (Jo 14.27), que Ele está falando. E como podemos ter essa Paz? Somente através da fé. Somente crendo que Deus cumpre Suas promessas. Somente confiando que Ele nos tem em Suas mãos e que, delas, ninguém, nem nada, vai nos tirar (Jo 10.28-29). Assim, descansamos de nossas obras, do nosso esforço próprio, da nossa luta para sair de situações ruins, porque Ele está no controle de nossas vidas e Ele nos conduzirá para onde Ele quiser que estejamos.

Como ter certeza disso? Como essa Verdade pode gerar Paz em nós, diante das piores tempestades? Simples! Quando sabemos que tais tempestades também fazem parte da vontade de Deus para nossas vidas, não por sadismo de Sua parte, mas por Seu amor e Sua vontade de que nos apresentemos perfeitos diante dEle.

O exemplo do navio em meio à grande tempestade é descrito no Salmo 107, versículos 25 a 30: o texto já começa dizendo que o próprio Deus fez levantar o vento tempestuoso. E, apesar das aparências, apesar do perigo de morte, o Senhor não faz isto desejando o mal das pessoas. Pelo contrário, o desejo do Senhor é que as pessoas se voltem para Ele e clamem a Ele, para Ele poder fazer cessar a tormenta e fazer as ondas se acalmarem. Assim, com o fim da tempestade, nos alegraremos com a bonança que o Senhor providenciou milagrosamente, sem que pudéssemos fazer nada para ajudar. Seu é o milagre e Sua é a glória!

Da mesma forma, no exemplo do povo de Israel encurralado diante do Mar Vermelho, vemos que toda aquela situação foi montada pelo Senhor. Até mesmo o fortíssimo vento oriental que soprou sobre o povo, por toda a noite, foi o milagre de Deus atuando naquelas vidas. Foi esse vento que dividiu o mar, e ele veio da parte de Deus, não foi uma coincidência (Êx 14.21). Apesar da terrível aparência daquela circunstância, era o Senhor que havia feito aquilo tudo, com o fim de salvar o povo. O resultado foi salvação! O resultado foi alegria de todo o povo, manifestada em cânticos, em danças e em festa (ver Êxodo 15.1-21)!

Por pior que seja a situação que enfrentamos, precisamos ter a confiante certeza de que o Senhor está nos dizendo: “Fui Eu que fiz isto!”. Em um dos piores momentos da existência de Israel, quando a nação se dividiu em duas partes, Deus disse ao povo: “Não subireis, nem pelejareis... porque eu é que fiz isto” (1Re 12.24). Em outras palavras, Ele estava dizendo que não era para as pessoas tentarem resolver o problema na sua própria força, porque o Senhor mesmo havia conduzido a situação até aquele extremo. Tudo que o povo tinha que fazer, tudo o que nós temos que fazer, é buscar ao Senhor com todo o nosso coração, com todo o nosso entendimento, colocar diante dEle nossas ansiedades, através de súplicas e orações, e aguardar por Seu livramento milagroso.

“Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam” (Tg 1.2-4, 12).

“Fui Eu que fiz isto”, diz o Senhor, “porque Eu te amei desde os tempos eternos”. “Entre em Meu descanso, desde agora, para sempre, e viva a Minha Paz”.

por René Burkhardt 

11 Deixe seu comentário!:

CARLOS HERRERA disse...

Olá pessoal..

Tenho postado alguns textos de amigos blogueiros, como Marcony, Pr.Marcelo, Rô..
hoje, tô compartilhando o ótimo texto do mano Rene..
boa leitura!

Abraços

Robson Batista disse...

A paz mano, como sempre com textos muito edificantes e coerentes. Parabéns, fique com Deus!

CARLOS HERRERA disse...

Valeu maninho Robson...muito bom te-lo aqui...

Míryam Lobo disse...

Paz pra vc!!

Olha, muito interessante esta postagem e, ainda mais interessante pq trata de um assunto que vem de encontro com uma pergunta que, silenciosamente, fiz a mim mesma ontem. Mas, como Deus é onisciente, acredito que a resposta dEle pra mim, tenha vindo através deste texto.

Ontem a noite eu me perguntei pq Deus permitiu as tragédias da Região Serrana do Rio, em São Paulo, em Minas... e nos demais lugares...

O que o Espírito Santo de Deus falou ao meucoração através desta postagem? QUE DEUS QUER QUE AS PESSOAS CHEGUEM MAIS E MAIS A ELE, QUE CLAMEM, SUPLIQUEM... Não por ser um Deus mal, que quer ver os outros na pior. Mas pq quer que a Salvação chegue a todos, através da fé, da confiança nEle. E, infelizmente, tem pessoas que só se chegam a Deus pela dor.

Parabéns pela publicação da postagem do Rene!!

Paz pro seu coração de amor!

CARLOS HERRERA disse...

Creio tanto na vontade permissiva quanto na vontade soberana de Deus:

vontade soberana de Deus:
quando Deus governa todas as coisas segundo sua soberania...e se necessario for, ele segundo seu poder imanente, interfere no fluxo natural da existência..

vontade permissiva de Deus:
quando Deus, segundo sua soberania, permite que as coisas sigam seu fluxo natural...mesmo que isso cause dor aos corações...mas Deus na sua onisciência sabe que no final da historia, o resultado será crescimento e saúde espiritual..

Mirian, fica na Paz !

CARLOS HERRERA disse...

Portanto, a vontade permissiva de Deus, não é omissão e nem Deísmo idiotado..
Mas é o amor divino revelado nas circusntancias mais variadas!

Wendel Bernardes disse...

Assino embaixo do teu comentário sobre a vontade permissiva de Deus, não ser omissão e nem Deísmo idiotado..

Os textos de nosso amigo René são mesmo ótimos não?

Rita disse...

Paz, bom dia
Esse texto é maravilhoso,eu ja o conhecia,mas nunca é demais o que nos edifica,só em Cristo encontramos porto seguro nas tempestades da vida.

Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça. Isaías 41:10

Deus o abençoe e fica na paz do Senhor!!

René disse...

Herrera,

Eu já conhecia este texto, também. Aliás, na época, teve um efeito indescritível de Paz, consolo e conforto em minha vida. E soube que outras pessoas próximas também sentiram o mesmo.

Só um detalhezinho: o kasteloforte é tudo junto. É a tradução do meu sobrenome. É com 'k', porque vem do germânico antigo e eu quis manter um pouco dessa originalidade. Valeu!

Abração, meu querido, e muita Paz!

CARLOS HERRERA disse...

Rsss vivendo e aprendendo...
abraço mano

Cláudio Nunes Horácio disse...

Mano, o René é uma imensa bênção pra todos nós, assim como você, sempre edificando o Corpo de Cristo que somos nós. Paz, bem e comunhão.